Ajuda - Busca - Membros - Calendário
Versão Completa: Pallas: boas e ruins do sedã (o meu)
Citroën Clube do Brasil > Modelos Citroën > C4 VTR e Pallas
Checov
Oi pessoal. Vou usar este tópico para atualizar as minhas experiências com o C4 Pallas. Serve como um diário, e um comparativo para quem tem ou quer ter um.

18/06/2008 - Pego o C4 na concessionária Le Mans em Bragança Paulista. O carro saiu com o tanque vazio, sem choro nem vela: a visita ao posto é obrigatória. Eu já havia feito um test-drive antes, mas era de modelo diferente: testei um exclusive manual e comprei um GLX manual, pois analisando os valores a primeira impressão é que o valor compensa a falta dos acessórios extras. Chegando na garagem de casa, uma surpresa: para este tamanho de carro, o sensor de estacionamento é ESSENCIAL, e faz falta mesmo. Deveria ser de série.

19/06/2008 - Após um dia embaixo do sol, o carro apresenta um cheiro desagradável de cola, Noto que o cheiro vem dos bancos. Como os bancos não são originais (explico: ameacei não comprar o carro caso não viesse com bancos em couro e documentação grátis. Fui atendido, mas os bancos são da concessionária, não vieram de fábrica), ligo para o vendedor, que pede para levar o carro na loja para verificação.

20/06/2008 - O carro já tem 600 Km no fim do dia. Como trabalho em São Paulo, atinjo fácil os 200Km por dia, ou 1000Km por semana. O carro vai muito bem, fora o cheiro de cola. O perfumador original piora o cheiro, que se mistura com o perfume e potencializa o desconforto. As pessoas que querem ver o carro não ligam, dizem que é "cheiro de carro novo". Levo o carro na concessionária, o vendedor percebe o cheiro e pede para que eu espera alguns dias, pois os bancos são novos e pode ser que ainda não secaram. Começo a perceber algumas falhas no acabamento: as bordas dos acabamentos de plástico do painel de instrumentos e das portas possuem rebarbas. Sinal de pobreza! wink.gif

21/06/2008 - Segundo tanque e o primeiro com álcool. Baseado na taxa de compressão do motor (12:1), calculo um bom percentual par ao uso do álcool, e defino que é 33% de gasolina e 66% de álcool. Neste percentual o carro funciona sem nenhuma diferença rem relação à gasolina. Impressionante.

25/06/2008 - Mais de uma semana com o carro. ele se porta muito bem na estrada e na cidade. Já me acostumei com o tamanho avantajado, e o desenho do painel, tão chamativo no início, já não é tão "novidade" para mim. Uma nota: no dia do test-drive, com o Exclusive, um teste de curva em alta velocidade mostrou o quanto a tração assistida é útil. No meu, sem este opcional, o carro tende a sair de frente nas curvas, o que não acontecia na versão Exclusive. Mas mesmo assim o carro está longe de ser inseguro: nestas curvas, feitas a mais de 100Km/h (o limite é de 60Km/h) o carro se porta muito bem para seu tamanho. E o cheiro dos bancos continua.

05/07/2008 - Começou a aparecer o primeiro ruído dentro do carro: um insistente, alto e irritante rangido na região central, entre os bancos dianteiros. Após insistir em encontrar o motivo, descubro: no banco traseiro há dois parafusos que fixam o assento no assoalho, na frente do banco e embaixo do acabamento atapetado do banco. Na parte central não há parafusos, só dois encaixes em dois furos no assoalho. Um dos encaixes está arrastando no assoalho. Tento corrigir o problema, mas sou impedido pelo acabamento do carpete e pelo parafuso, de cabeça Torx e fora das medidas que tenho. O cheiro dos bancos já está bem reduzido, e começo a sentir o perfume do odorizador, realmente muito agradável.

06/07/2008 - Vou à concessionária para ver o problema do rangido, na Le Mans Bragança mesmo. O "técnico" que me atendeu encontrou o problema (depois que eu mostrei, claro) mas demonstrou uma certa má vontade: pediu para agendar um dia inteiro para retirar o banco e corrigir o problema. "Pombas, bastava apertar o parafuso direito, ora bolas" - penso eu. Deixo o problema para depois pois não tenho tempo de deixar o carro só para tirar um ruído que só aparece quando alguém senta no banco traseiro.

15/07/2008 - Abasteço em um posto que nunca abasteci antes, e o carro não gosta do combustível: acende a luz da Injeção eletrônica. O computador de bordo indica "defeito no sistema antipoluição". Logo descubro o problema: o combustível colocado simplesmente tem um teor minúsculo de gasolina. De acordo com meus cálculos, o carro rodaria normalmente com 24,75% de gasolina pura e 75,25% de álcool (tanto faz anidro ou hidratado). Como o posto estava vendendo álcool como gasolina, quase nada de gasolina havia no tanque, causando a falha. Uma passadinha na concessionária e um rearme na UCE resolveu o problema. Detalhe: mais uma vez o "técnico" demonstrou desconhecimento. Quando conectou o micro, ele não conseguiu entender o sistema de menus do software de diagnóstico. Eu, como um bom profissional de TI, rapidamente entendi a lógica do software, mas ele demonstrou total falta de intimidade com microcomputadores. Resultado: reinicializou a UCE sem descobrir qual é o defeito. É claro que eu já sabia (sonda lambda indicando mistura pobre), mas se fosse um defeito real ele não descobriria.

20/07/2008 - Outro tanque que gerou falha da lambda, desta vez foi erro de cálculo meu: com o tanque pela metade, calculei mal o percentual e coloquei menos gasolina que o necessário. O carro já está com 6.200Km!

25/07/2008 - A sinalização de sona lambda apagou sozinha. Demonstra que o sistema se rearma após alguns dias. Nota: acabei de colocar o percentual correto de gasolina em um posto de confiança. Não preciso rearmar a UCE. Nestes últimos dias o sol voltou a brilhar, e com ele o cheiro dos bancos também voltou. Vou ligar para a Citroën e tentar resolver este problema, pois creio que cheiro de cola não é algo saudável.

Por enquanto é isso, mais novidades coloco em novos posts neste tópico. Quem quiser dicas ou trocar experiências, estamos aí!

Checov
alexandre
Ola meus amigos laugh.gif


Checov camarada...rsrsrs acrescentar gasolina na proporção de 25% do abstecimento de alcool não tem muita função no C4, na verdade isso facilita somente a partida a frio, só isso.

O sistema multiplexado de injeção do atuais Citro Flex possui mapas de injeção com graduação de 100% de alcool e funcionam com desempenho superior ao da gasolina (ja que o poder energetico do alcool e melhor devido a taxa de compressão).
Neste tipo de injeção ocorre um fenomeno chamado de auto adaptação, onde o modulo passa por um processo de aprendizado, verificando qual dos mapas se adapta melhor a temperatura e ao combustivel presentes no momento do funcionamento.
Apos memorizado, o ciclo de aprendizado se inicia quando é detectada alteração no nivel do marcador de combustivel indicando que houve acrescimo de combustivel, então o programa volta a se iniciar por não saber se foi acrescido alcool ou gasolina.

Acabamentos tendem a se soltar, talvez por culpa do entusiasmo na montagem dos C4 pelos nossos ermanos argentinos. ja soube de um que soltou o teto, imagine a surpresa do proprietario. blink.gif

Alguns deles sairam ate com um adesivo no lado direito do painel, so visivel com a porta aberta, onde menciona sobre o Air Bag do passageiro e o interruptor para desativa-lo, o problema é que no Pallas não saiu Air Bag para o passageiro, bela contradição... tongue.gif


Espero que voce continue sem noticias ruins...rsrsrs


Um abraço e boa sorte com o carrão cool.gif
Checov
QUOTE(alexandre @ Aug 7 2008, 03:22 PM) *

Ola meus amigos laugh.gif
Checov camarada...rsrsrs acrescentar gasolina na proporção de 25% do abstecimento de alcool não tem muita função no C4, na verdade isso facilita somente a partida a frio, só isso.

O sistema multiplexado de injeção do atuais Citro Flex possui mapas de injeção com graduação de 100% de alcool e funcionam com desempenho superior ao da gasolina (ja que o poder energetico do alcool e melhor devido a taxa de compressão).
Neste tipo de injeção ocorre um fenomeno chamado de auto adaptação, onde o modulo passa por um processo de aprendizado, verificando qual dos mapas se adapta melhor a temperatura e ao combustivel presentes no momento do funcionamento.
Apos memorizado, o ciclo de aprendizado se inicia quando é detectada alteração no nivel do marcador de combustivel indicando que houve acrescimo de combustivel, então o programa volta a se iniciar por não saber se foi acrescido alcool ou gasolina.

Acabamentos tendem a se soltar, talvez por culpa do entusiasmo na montagem dos C4 pelos nossos ermanos argentinos. ja soube de um que soltou o teto, imagine a surpresa do proprietario. blink.gif

Alguns deles sairam ate com um adesivo no lado direito do painel, so visivel com a porta aberta, onde menciona sobre o Air Bag do passageiro e o interruptor para desativa-lo, o problema é que no Pallas não saiu Air Bag para o passageiro, bela contradição... tongue.gif
Espero que voce continue sem noticias ruins...rsrsrs
Um abraço e boa sorte com o carrão cool.gif


Fala Alê!

Na verdade é esta mesma a função da gasolina. Acho que não fui bem claro: o C4 Pallas NÃO É FLEX (hehehe) é gasolina, então a UCE não tem tabelas de mapeamento para álcool. Por isso que preciso colocar um percentual razoável de gasolina (1/4 para cima) para, pelo menos, conseguir dar partida nas manhãs frias e, principalmente, evitar a sinalização de "falha no sistema antipoluição" ( o conhecido falha de injeção eletrônica).

Já o acabamento soltar, é mal de carro com teto grande: no meu antigo Ford Escort Zetec SW o teto parecia uma tenda de pano: já estava encostando na cabeça dos passageiros do banco de trás. Isso é causado por acúmulo de umidade e também pela idade do carro. Mas é facilmente resolvível, viu? Basta tirar o teto, retirar o tecido do papelão e colar um novo tecido, facilmente encontrável em lojas de retalhos (procure como tecido almofadado).

Quanto ao air-bag: o meu é o básico (GLX, mecânico) e tem air-bag duplo (motorista e passageiro). A desativação do air-bag do passageiro é feito através do menu do computador de bordo. wink.gif Só que é estanho: não parece original. Explico: apesar de vir de fábrica com air-bag para o passageiro, o logotipo "airbag" parece que foi "queimado" no painel, não é um logotipo feito originalmente na manufatura do painel, foi utilizado um aparelho aquecido para escrever "airbag". Péssimo acabamento neste caso. Aliás, as partes de plástico do carro não são muito legais: são poucas (porta-objetos das portas e console de instrumentos do painel) mas as bordas possuem rebarbas visíveis e feias. Malditos argentinos! laugh.gif

Por enquanto estou 90% contente com o carro, espero que continue assim.

Abraço.
Checov
Checov
Continuando o diário do C4 Pallas:

06/08/2008 - 8.200 Km - Percebo uma dificuldade no pedal da embragem. Ao parar o carro e ir verificar, noto que o tapete (que veio "de graça" da concessionária) está pegando quando o pedal atinge seu fim-de-curso. retiro o tapete, que é fixo por velcro, e noto que o carpete do carro tem 4 botões de fixação para tapetes, sem usar velcro. Um assassinato: o carro DEVERIA vir com tapetes originais, mas a Le Mans não os fornece, fornece um não-original que danifica o carpete (o velcro) e que pega no pedal da embreagem. Vai para a lista de reclamações. É interessante: quase todas as reclamações que tenho do carro são inerentes a serviços executados em concessionária: tapete, banco, limpeza do carro... quase nada tenho contra o carro, só o espelho retrovisor interno com um leve grau óptico, que ainda não defini se é mesmo o espelho ou se é a vigia (vidro traseiro). Se for o espelho, menos mal: troca-se e pronto. Se for a vigia... complica!

08/08/2008 - 8.550 Km - Após uma visita à concessionária para marcar a primeira revisão do carro, uma conversa com o vendedor pode demonstrar que estou gastando muito com combustível: o vendedor informou-me que, em estrada, o carro DEVERIA fazer cerca de 15Km/l. Como estou usando álcool e tenho a média de 9,6Km/l, desconfiei que o desempenho com álcool talvez não estivesse compensando. Encho o tanque de gasolina, para medir novamente o seu consumo com o combustível original.

10/08/2008 - 8.900 Km - Completei 350Km usando só a gasolina, e surpresa: o vendedor falou besteira! O carro não passou de 9.5 Km/l no computador de bordo, e, pelo nível do tanque, o consumo "real" foi sofrível. Não compensa gasolina! Ainda mais para mim, um adepto da "menor poluição possível". Volta pro álcool!

Abraço
Checov
O Administrador
Muitas das reclamações sobre serviços realizados em concessionárias, teóricamente estariam ligadas a uma questão de formação dos profissionais que trabalham com esses carros.

Um boa parte ainda dessas reclamações, são de proprietários de carros mais antigos, como os Xsara, os ZX e Xantia, dentre outros, onde fica latente a falta de conhecimento sobre os produtos comercializados pela Citroën do Brasil.

Um dos objetivos deste Fórum, era justamente o de promover a troca de informações e assim, dentro do possível, evitar que os proprietários destes carros caissem em algumas "arapucas" montadas sob as fachadas de concessionárias.

Para a nossa infeliz surpresa, diária, diga-se de passagem, o que temos visto é a proliferação dos maus profissionais nas concessinárias. Não todos, e isso tem que ficar claro, pois há muitos que ainda são profissionais e merecem a nossa consideração.

A grande verdade é que quando qualquer proprietário da marca, que conhece um pouco mais sobre carros, e que gosta do assunto, ver o seu veículo sendo levado para a parte de trás de uma concessionária para um reparo, é como acompanhar um boi a caminho do matadouro.

Depois que ele passou pela porteira entre o atendimento e a oficina, tudo parece ser possível.
R.Pucci
QUOTE(Checov @ Jul 31 2008, 04:28 PM) *

Oi pessoal. Vou usar este tópico para atualizar as minhas experiências com o C4 Pallas. Serve como um diário, e um comparativo para quem tem ou quer ter um.

18/06/2008 - Pego o C4 na concessionária Le Mans em Bragança Paulista. O carro saiu com o tanque vazio, sem choro nem vela: a visita ao posto é obrigatória. Eu já havia feito um test-drive antes, mas era de modelo diferente: testei um exclusive manual e comprei um GLX manual, pois analisando os valores a primeira impressão é que o valor compensa a falta dos acessórios extras. Chegando na garagem de casa, uma surpresa: para este tamanho de carro, o sensor de estacionamento é ESSENCIAL, e faz falta mesmo. Deveria ser de série.

19/06/2008 - Após um dia embaixo do sol, o carro apresenta um cheiro desagradável de cola, Noto que o cheiro vem dos bancos. Como os bancos não são originais (explico: ameacei não comprar o carro caso não viesse com bancos em couro e documentação grátis. Fui atendido, mas os bancos são da concessionária, não vieram de fábrica), ligo para o vendedor, que pede para levar o carro na loja para verificação.

20/06/2008 - O carro já tem 600 Km no fim do dia. Como trabalho em São Paulo, atinjo fácil os 200Km por dia, ou 1000Km por semana. O carro vai muito bem, fora o cheiro de cola. O perfumador original piora o cheiro, que se mistura com o perfume e potencializa o desconforto. As pessoas que querem ver o carro não ligam, dizem que é "cheiro de carro novo". Levo o carro na concessionária, o vendedor percebe o cheiro e pede para que eu espera alguns dias, pois os bancos são novos e pode ser que ainda não secaram. Começo a perceber algumas falhas no acabamento: as bordas dos acabamentos de plástico do painel de instrumentos e das portas possuem rebarbas. Sinal de pobreza! ;)

21/06/2008 - Segundo tanque e o primeiro com álcool. Baseado na taxa de compressão do motor (12:1), calculo um bom percentual par ao uso do álcool, e defino que é 33% de gasolina e 66% de álcool. Neste percentual o carro funciona sem nenhuma diferença rem relação à gasolina. Impressionante.

25/06/2008 - Mais de uma semana com o carro. ele se porta muito bem na estrada e na cidade. Já me acostumei com o tamanho avantajado, e o desenho do painel, tão chamativo no início, já não é tão "novidade" para mim. Uma nota: no dia do test-drive, com o Exclusive, um teste de curva em alta velocidade mostrou o quanto a tração assistida é útil. No meu, sem este opcional, o carro tende a sair de frente nas curvas, o que não acontecia na versão Exclusive. Mas mesmo assim o carro está longe de ser inseguro: nestas curvas, feitas a mais de 100Km/h (o limite é de 60Km/h) o carro se porta muito bem para seu tamanho. E o cheiro dos bancos continua.

05/07/2008 - Começou a aparecer o primeiro ruído dentro do carro: um insistente, alto e irritante rangido na região central, entre os bancos dianteiros. Após insistir em encontrar o motivo, descubro: no banco traseiro há dois parafusos que fixam o assento no assoalho, na frente do banco e embaixo do acabamento atapetado do banco. Na parte central não há parafusos, só dois encaixes em dois furos no assoalho. Um dos encaixes está arrastando no assoalho. Tento corrigir o problema, mas sou impedido pelo acabamento do carpete e pelo parafuso, de cabeça Torx e fora das medidas que tenho. O cheiro dos bancos já está bem reduzido, e começo a sentir o perfume do odorizador, realmente muito agradável.

06/07/2008 - Vou à concessionária para ver o problema do rangido, na Le Mans Bragança mesmo. O "técnico" que me atendeu encontrou o problema (depois que eu mostrei, claro) mas demonstrou uma certa má vontade: pediu para agendar um dia inteiro para retirar o banco e corrigir o problema. "Pombas, bastava apertar o parafuso direito, ora bolas" - penso eu. Deixo o problema para depois pois não tenho tempo de deixar o carro só para tirar um ruído que só aparece quando alguém senta no banco traseiro.

15/07/2008 - Abasteço em um posto que nunca abasteci antes, e o carro não gosta do combustível: acende a luz da Injeção eletrônica. O computador de bordo indica "defeito no sistema antipoluição". Logo descubro o problema: o combustível colocado simplesmente tem um teor minúsculo de gasolina. De acordo com meus cálculos, o carro rodaria normalmente com 24,75% de gasolina pura e 75,25% de álcool (tanto faz anidro ou hidratado). Como o posto estava vendendo álcool como gasolina, quase nada de gasolina havia no tanque, causando a falha. Uma passadinha na concessionária e um rearme na UCE resolveu o problema. Detalhe: mais uma vez o "técnico" demonstrou desconhecimento. Quando conectou o micro, ele não conseguiu entender o sistema de menus do software de diagnóstico. Eu, como um bom profissional de TI, rapidamente entendi a lógica do software, mas ele demonstrou total falta de intimidade com microcomputadores. Resultado: reinicializou a UCE sem descobrir qual é o defeito. É claro que eu já sabia (sonda lambda indicando mistura pobre), mas se fosse um defeito real ele não descobriria.

20/07/2008 - Outro tanque que gerou falha da lambda, desta vez foi erro de cálculo meu: com o tanque pela metade, calculei mal o percentual e coloquei menos gasolina que o necessário. O carro já está com 6.200Km!

25/07/2008 - A sinalização de sona lambda apagou sozinha. Demonstra que o sistema se rearma após alguns dias. Nota: acabei de colocar o percentual correto de gasolina em um posto de confiança. Não preciso rearmar a UCE. Nestes últimos dias o sol voltou a brilhar, e com ele o cheiro dos bancos também voltou. Vou ligar para a Citroën e tentar resolver este problema, pois creio que cheiro de cola não é algo saudável.

Por enquanto é isso, mais novidades coloco em novos posts neste tópico. Quem quiser dicas ou trocar experiências, estamos aí!

Checov



Prezado Amigo, não entendi, seu carro é flex?????

Abç

Pucci
Checov
QUOTE(R.Pucci @ Aug 12 2008, 11:36 PM) *

Prezado Amigo, não entendi, seu carro é flex?????

Abç

Pucci



Pucci, ainda não existe C4 Pallas Flex. wink.gif
alexandre
Ola amigos laugh.gif


Skavuska Camarada Pucci e camarada Checov hauhauhau...Desculpem a minha falha, avancei um pouco demais na cronologia do C4, o sistema flex esta pronto e algumas unidades ja circulam em carater de teste, não é perceptivel ja que a mudança é mecanica e não estetica.

Supus pela sua declaração que os testes haviam acabado e ja estava no mercado. unsure.gif

Um colega meu esta com um deles, tem alguns bugs para resolver (programação), mas esta bem potente e vai ajudar a impulsionar as vendas do C4.

A versão 1.6 tambem ja roda por ai em teste de longa duração, vamos ver como fica, tomara que não nasça um Corsa Wind!!! tongue.gif


Sobre o teto que caiu, não foi o tecido, foi o teto mesmo. Soltaram os acabamentos das colunas e o teto desceu, ficando preso pelo suporte dos quebra-sol.

Sobre os Air Bags, não fazia parte dos planos lançar para passageiro tambem, por isso a inclusão "a ferro e fogo" do logo do dispositivo (os clientes cobraram) e aproveitando a facilidade dos menus de acesso, evita-se colocar a chave de desativação (obrigatoria nos EUA), sabe como é...carro para latinos...



Um abraço a todos cool.gif
Checov
QUOTE(alexandre @ Aug 19 2008, 03:19 PM) *

Ola amigos laugh.gif
Skavuska Camarada Pucci e camarada Checov hauhauhau...Desculpem a minha falha, avancei um pouco demais na cronologia do C4, o sistema flex esta pronto e algumas unidades ja circulam em carater de teste, não é perceptivel ja que a mudança é mecanica e não estetica.

Supus pela sua declaração que os testes haviam acabado e ja estava no mercado. unsure.gif

Um colega meu esta com um deles, tem alguns bugs para resolver (programação), mas esta bem potente e vai ajudar a impulsionar as vendas do C4.

A versão 1.6 tambem ja roda por ai em teste de longa duração, vamos ver como fica, tomara que não nasça um Corsa Wind!!! tongue.gif
Sobre o teto que caiu, não foi o tecido, foi o teto mesmo. Soltaram os acabamentos das colunas e o teto desceu, ficando preso pelo suporte dos quebra-sol.

Sobre os Air Bags, não fazia parte dos planos lançar para passageiro tambem, por isso a inclusão "a ferro e fogo" do logo do dispositivo (os clientes cobraram) e aproveitando a facilidade dos menus de acesso, evita-se colocar a chave de desativação (obrigatoria nos EUA), sabe como é...carro para latinos...
Um abraço a todos cool.gif


Então Alexandre, o C4 Pallas "flex" será lançado agora no fim do ano, e será a principal novidade da versão 2009. MAS (sempre tem um "mas") a versão 2.0 16v não terá nenhuma modificação mecânica em relação à 2.0 16v gasolina. Talvez se você considerar a inclusão de um reservatório de gasolina como modificação mecânica... e também a forma de abastecimento deste reservatório, caso a Citroën decida que seja externa... mas os dois motores são IDÊNTICOS EM TUDO, a única diferença é uma nova tabela de trabalho da UCE, prevendo a faixa maior de trabalho da lambda, aumentando os tempos dos bicos e os novos atrasos na ignição.

A versão 1.6 é realmente diferente... mas imagine uma BARCA dessas rodando com motor 1.6... só se houver um verdadeiro "milagre da potência", se bem que a PSA já fez milagre no 2.0 (147cv com torque de 20Kgfm para um motor 2.0 é o limite da tecnologia atual). Veremos como ficará esta versão, espero também que seja mais econômica, pois carro pesado com motor pequeno costuma gerar grandes beberrões.

Abraço
Checov
Checov
Bem, vou fazer uma "upada" no tópico, com mais algumas informações.

O meu Pallas está hoje (02 de Setembro de 2008, caracas, 2008 já está acabando!) com 12.300Km rodados. Destes, quase a totalidade (cerca de 95%) com a mistura gasolina/álcool. O carro nem sente mais a diferença do combustível, creio que porque ajustei a quantidade certa e nunca mais coloquei menos que o calculado (para cada tanque completado, coloco 20 litros de gasolina comum e completo com álcool, que dá cerca de 30 litros, totalizando 50 litros). Neste mês que passou e até hoje não acendeu mais a luz da injeção, e nas manhãs ele não falha. Parece que está rodando só com gasolina.

Algumas semanas atrás eu até fiz um teste, coloquei um tanque só de gasolina, e só serviu para chorar com o preço e com a poluição: R$120,00 para completar o tanque com 45 litros e não ganhei nada de potência nem de consumo. Besteira: volta pro álcool mesmo. E ainda por cima bastou este tanque para contaminar o óleo lubrificante, que estava bom até este momento.

Bem, fiz a primeira revisão com 10900Km, tudo foi checado pela concessionária (palavras deles), óleo e filtro de óleo trocados, deixei R$295,00 da concessionária e saí feliz da vida com a revisão feita. Pelo meu rodar, dá uma revisão a cada 2,5 meses, completarei os 60.000Km com 15 meses, e depois da revisão dos 60.000Km as revisões subseqüentes não são mais tabeladas. Detalhe: o manual diz que a troca da correia dentada é aos 70.000Km, isto é, já posso me preparar porque será uma bela duma facada! Mas, como a revisão básica não diz nada que a correia deva ser trocada em concessionária, podem ter certeza que eu mesmo a trocarei, com a ajuda de alguns amigos profissionais.

Ontem, 01 de Setembro de 2008, comprei um jogo de tapetes originais da versão Exclusive. Os tapetes promocionais da concessionária, presos com velcro no carpete do carro, além de estragarem o carpete não ficavam no lugar, mesmo com o velcro, atrapalhando o acionamento do pedal da embreagem. Deixei R$139,00 e peguei o jogo novo de tapetes originais, que são presos no carpete por botões, e se encaixam perfeitamente sem atrapalhar os pedais do motorista. Só acho que falta uma coisa: o tapete traseiro é duplo, na minha opinião deveria ser inteiriço único para proteger o carpete do túnel. Mas, fazer o que?

Por enquanto é isso.

Abraços.
Checov
Checov
Ah, já ia me esquecendo!

É uma boa para incluir no diário do carro.

No dia 25 de Agosto de 2008 estava eu retornando para casa, pela Rodovia Fernão Dias, quando às 23:45hs, em Terra Preta (Km 40 da Fernão dias, entre Mairiporã e Atibaia) um caminhão que estava a cerca de 50 metros à minha frente deu uma "lambida" em uma pedra que estava no acostamento. A pedra, que está em casa, pesa cerca de 3 quilos, e girou em seu próprio eixo, vindo parar bem nos meus pneus direitos. O resultado? 2 pneus pro saco, e 2 rodas lascadas. Bem, chamei o guincho da Allianz, mas quem chegou primeiro foi o guincho da concessionária OHL, que ficou protegendo o local que eu estava até que o guincho da Allianz chegasse, 1 hora depois, vindo de Atibaia que fica a 5 minutos de onde eu estava. No dia seguinte pensei que teria que ir para São Paulo de ônibus pois achei que não encontraria os pneus na medida do C4: 215x55R16, mas a Michellin de Bragança Paulista tinha, a pronta entrega. O preço? R$603,00 para CADA UM. Eu, acostumado com pneus de R$250,00 de meu antigo Ford Focus, dei um pulo. Bem, paguei né, fazer o que?

O carro? Não aconteceu nada de ruim com ele. Só as rodas ficaram com marcas de lascadas, que vou fazer uma manutenção assim que tiver tempo. Nem tortas ficaram as rodas, só lascadas mesmo.

Abraços.
Checov
Checov
Bem, cá estou novamente atualizando. Não tenho muito para falar, estou realmente muito satisfeito com o carro. Ontem, dia 18, competei 3 meses (já?) com o carro, e por parte do carro não tenho nenhuma reclamação. O C4 já rodou 15.500Km nestes 3 meses (rodo pra caramba, não?) e mês que vem tem uma nova revisão. Aliás, revisão esta que custa R$395,00.

Aproveito para divagar um pouco aqui: tenho um carro antigo, meu primeiro carro, um Fiat 147 ano 1977. Estou pronto para colocar o carro na oficina de recuperação, e estava procurando alguns dados sobre o Fiat 147. Achei o manual original do carro, e fiquei PASMO com o que encontrei: as primeiras 3 revisões do carro, com 5.000, 10.000 e 15.000Km, eram GRATUÍTAS, ou seja, a Fiat trocava os fluídos e revisava o carro NA FAIXA para o dono. Além disso, nenhuma revisão precisava ser feita em concessionária, o proprietário só precisava comprovar que a revisão havia sido realizada de acordo com o manual para manter a garantia do carro. O que eu vejo hoje: a Citroën, assim como TODAS as outras fabricantes, exigem que os proprietários realizem as revisões nas concessionárias, em uma clara violação do Código de Defesa do Consumidor, configurando-se uma VENDA CASADA. Outra: A Ford está anunciando a primeira revisão do Ford EcoSport no valor de R$117,00 (3x de R$39,00). É claro que esta revisão não passa de uma troca de óleo, assim como a Citroën fez em meu C4, mas eu paguei R$295,00 por esta troca de óleo. Isso dá R$59,00 por litro de óleo. O óleo equivalente, fabricado pela Castrol e que atente a todas as exigências do motor PSA 2.0 é o Castrol GTX Special, semi-sintético, que custa R$14,00 por litro, o que daria R$70,00. Ora, se eu usasse o óleo supra-sumo da Castrol o GTX Magnatec, que supera em muito o óleo original da Citroën, eu gastaria R$40,00 por litro, o que daria R$200,00, uma economia de R$90,00! Então esta revisão com preço fixo da Citroën é uma enganação. Tenham sempre isso em mente!

Abraços
Checov
Checov
Oi pessoal.

Onde estão os donos de C4? Ninguém? parece que só eu posto nesta seção! :-(

Bem, o meu C4 Pallas está muito bem, obrigado. Já rodei 18.600Km, daqui a pouco vem outra revisão, e o carro não apresenta nenhum problema sério. Algumas ocorrências:

Com 18.400Km - queima da lâmpada de farol baixo lado esquerdo. A Citroën informa que não há garantia para lâmpadas. Vou comprar na concessionária, e vem a facada: R$45,00 por UMA (1) lâmpada. Saio de lá meio desnorteado até uma autopeças, e encontro a mesma lâmpada por R$4,50! Isso mesmo! A lâmpada H7 custa R$4,50 no mercado. A marca? Ora, a lâmpada original da Citroën é "Made China", comprei uma "Made in Germany". Sem comentários, né?

Após a troca da lâmpada, descobri que a lâmpada direita, que não queimou, está bem mais fraca que a nova. Temendo por uma incompatibilidade de foco da lâmpada nova, vou até a concessionária e o eletricista retira a lâmpada direita, a mais fraca. Surpresa: ela está toda prateada, indicando vazamento e uma iminente queima. Questiono o eletricista se não é problema no carro, e ele é enfático na resposta: NÃO! Ele já pegou outras lâmpadas de carros vendidos no mesmo mês que o meu, e desconfia de lote ruim de lâmpadas. Ele então me fornece, gratuitamente, outra lâmpada para repô-la. Note que não é lâmpada nova: é lâmpada retirada de outro Pallas que o proprietário instalou Xenon, e sobraram as lâmpadas.

18.600 (Hoje) - Um amigo precisou de uma ajuda mecânica e eu me prontifico a usar minha bateria em uma "chupeta" para dar partida no carro dele. Surpresa: o C4 Pallas não gosta que tire a bateria dele, aparece um monte de falhas no computador de bordo. Mas as falhas somem após alguns metros rodando o carro normalmente. Só ficou a falha de "sistema antipoluição", que costuma sumir após 1 ou 2 tanques. Já acostumei com esse, vide meus posts anteriores.
As falhas que apareceram após a retirada da bateria:
- Falha de freio;
- Falha de freio ABS;
- Falha do sistema antipoluição;

Isso porque o meu é o GLX, creio que se fosse o Exclusive haveriam outras sinalizações presentes.

Ah, aproveitando: o calor voltou, e o cheiro está voltando. Bem fraco, mas está. E o barulhinho no banco traseiro está querendo aparecer de novo, o banco resolveu dar uma "cantadinha" neste fim-de-semana.

Fora essas duas besteirinhas, o carro é fantástico. Após 4 meses e o lançamento da versão Flex eu ainda tenho o sentimento que fiz um ótimo negócio, hoje eu não conseguiria mais comprar esse carro, os juros de financiamentos estão em patamares absurdos que eu não suportaria hoje.

Abraço.
Checov
rafael_xm
Caro Checov, não se sinta só!

Leve em conta que o carro é novo e que a maioria das pessoas ainda não tiveram acesso a ele nem para test drive.

Particularmente acho o carro muito bonito, muito embora não possa deixar de admitir uma certa atração pelo VTR, e que só não faz parte das minhas pretensões, porque a Citroën resolveu amansar um pouco o carro, inclusive tirando as rodas 17" que foram mostradas com o modelo quando esteve pela primeira vez no salão do automóvel aqui no Brasil. Também não posso deixar de observar que deve ser muito mais prático abrir a porta do Pallas, que a porta do VTR. Pelo tamanho dela o proprietário precisa ter um boa espaço lateral na garagem.

Mas à mim, impressiona como a Citroën, ou PSA, como queiram, conseguiu encaixar essa traseira no modelo coupe. A primeira vez que cheguei perto desse carro, tive a impressão de que ele seria até maior que o C5, dado o tamanho da lateral traseira.

felizmente, ou infelizmente, você acabou sendo o precursor da avaliação desse carro no Fórum. Particularmente achei ótimo, já que frequentemente acompanho sua saga com esse Pallas, e tenho certeza de que, mesmo não opinando, outros tantos colegas frequentadores, acompanham essa trajetória assim como eu.

É claro que o feedback é sempre estimulante, e tenho certeza de que logo ele começará a aconteceer. É só uma questão de tempo, visto que esse carro, a exemplo do C3, teve uma ótima aceitação do brasileiro, a ponto de estimular o lançamento do modelo Hatch de 4 portas.

Eu tenho um XM; desculpe: 2, sempre me esqueço do pobre do segundo, e sei bem como é ficar falando sozinho. Ao contrário do seu que é novo, o meu teve digamos, tiragem limitada, e as poucas unidades que ficaram, estão dispersas. Mesmo assim conseguimos alguns bons e valiosos contatos.

Não sei quanto aos outros, mas esse é o formato que eu tinha idealizado para relatar a trajetória do tico e do teco, minhas duas crianças, mas problemas pessoais acabaram me desestimulando.

Quem sabe não retomo a idéia quando comprar um C6. Tudo pode acontecer.

Abraço, obrigado pelo espaço e pelos relatos.
Erick
Olá a todos,
Rafael XM: vc tem razão o Pallas é maior que o C5, acredite! O meu c5 tem 4.60 e poucos cm de comprimento e o Pallas da minha mãe tem 4,77 cm os dois pelas medidas informadas nos manuais. O C5 ganha em largura, se não me engano 2,10 cm contra 1,77 do pallas (contando os retrovisores).

Caro Checov, compramos aqui no último dia 27/09 um C4 PALLAS ECLUSIVE BVA, está hoje com quase 900 Km por enquanto só alegria, é bom ver seus posts, e qlq coisa tb postarei aqui!

Abs
O Administrador
Reportagem do Best Cars sobre o motor flex com 8 CV a mais para 2009.

C4 Pallas Flex
Checov
Oi pessoal.

Legal, fico contente que vocês estejam lendo minhas "aventuras" com o C4 Pallas. Eu pensei que estava sózinho, mesmo sabendo que tem, aqui no Fórum, outros C4 Pallas, como o do Erick. Parabéns, Erick, eu até gostaria de ter um Exclusive, mas não deu o dinheiro.

Estou por aí!

Abraço.
Checov
FXE
ola amigos que gostam de citroen ,apesar do meu nao ser c4 ou c5 pois tenho um xantia 2.0 gosto do forum das experiencias relatadas ,pois tem me dados muitos conhecimento sobre a marca continuem postando sabendo que tem leitores que gostam
ah tenho uma reclamacao a fazer experimente fazer uma solicitacao a citroen e informem que possuem um modelo antigo e veras que nao fazem questao da sua pessoa ,muito me admira a citroen pois ,tinha em mente num futuro proximo possuir um citroen mais novo pois sou fa da marca mas diante do tratamento dispensado para meus email acho que ninguem gosta de ser ignorado ja estudo outras opcoes fica aki meu prosteto registrado
rafael_xm
Boa noite FXE,

O seu protesto é o nosso protesto.

Soube que o Administrador tem em projeto, buscar uma forma de pressionar a Citroën do Brasil, ou mesmo a Citroën francesa, a disponibilizar um canal para aquisição de peças para os modelos mais antigos.

Talvez seja disponibilizada no Fórum, uma área para algum tipo de assinatura virtual de um abaixo assinado.

Uma questão fundamental para conseguirmos isso é a representatividade. Meia duzia de andorinhas, como ainda é o nosso caso, não fazem verão. Quanto mais pessoas pudermos agregar ao Fórum, maiores serão as nossas possibilidades junto a Marca.

Erick colega, o que posso dizer é: impressionante! icon_smile_shock.gif

Quando lançaram o C5, em 2001, achei o carro muito grande para substituir o Xantia. Isso só no "olhomêtro". Quando saiu a segunda versão, no final de 2005 já como modelo 2006, achei que ele tinha diminuido de tamanho. Preciso checar essas medidas, mas o problema é eu me lembrar disso.

Quando vi o C4 de perto; fazia uma visita a concessionária Limoges em busca de peças para o meu XM, achei a composição fantástica, principalmente porque pude comparar o VTR e o Pallas no mesmo âmbiente.

Com motor Flex, a média de 1.600 carros/mês infomada pela fábrica, deve subir consideravelmente. Tomara que não façam como no caso do Xsara que foi retirado do convívio nacional, justamente quando começou a cair nas graças do povo.
Erick
QUOTE(Checov @ Oct 15 2008, 07:31 PM) *

Oi pessoal.

Legal, fico contente que vocês estejam lendo minhas "aventuras" com o C4 Pallas. Eu pensei que estava sózinho, mesmo sabendo que tem, aqui no Fórum, outros C4 Pallas, como o do Erick. Parabéns, Erick, eu até gostaria de ter um Exclusive, mas não deu o dinheiro.

Estou por aí!

Abraço.
Checov



Compramos o exclusive porque a citroën estava com uma promoção muito boa e o exclusive BVA saia R$ 4.000,00 a mais que o GLX BVA e com uma entrada de 50% e o restante em 24X com taxa de 0,49% a.m., depois que colocamos tudo na ponta do lápis achamos por bem desembolsar um pouco mais e pegar o excl., só não tem o pack tech!

É claro que essa promoção era para desovar os 08/08 do pátio para chegada do 08/09, mas o preço foi muito bom e como só ia vir o flex de diferença aconselhei, na verdade quase obriguei (rsss) meu pais a fecharem!

Abs
Checov
QUOTE(Erick @ Oct 17 2008, 09:17 AM) *

Compramos o exclusive porque a citroën estava com uma promoção muito boa e o exclusive BVA saia R$ 4.000,00 a mais que o GLX BVA e com uma entrada de 50% e o restante em 24X com taxa de 0,49% a.m., depois que colocamos tudo na ponta do lápis achamos por bem desembolsar um pouco mais e pegar o excl., só não tem o pack tech!

É claro que essa promoção era para desovar os 08/08 do pátio para chegada do 08/09, mas o preço foi muito bom e como só ia vir o flex de diferença aconselhei, na verdade quase obriguei (rsss) meu pais a fecharem!

Abs


Legal Erick. Aqui em Bragança o GLX 2008/2008 está saindo por R$59.990,00, 5 mil a menos do que eu comprei. É claro que em ambos os casos tem o frete (R$1000,00) e a pintura metálica, caso não seja preto (R$1000,00). Mas a diferença é mesmo de R$5.000,00. Pouco antes disso, há 2 meses atrás, comprar o C4 na LeMans dava uma viagem ida e volta a Paris.

Eu fiz os meus cálculos aqui, e mesmo com essas promoções eu ainda estou no lucro: eu não tinha (e não tenho ainda) dinheiro para dar entrada, então financiei 100%. As taxas de financiamento atuais estão muito maiores que as que eu contratei na época, então eu estou no lucro. E feliz com o carro, muito feliz.

Aproveitando a postagem, acabei de comprar um kit bluetooth para celular da TT AutoSystems (nacional). Vamos ver se eu consigo instalar, parece meio complicado abrir o painel do C4, mas vou tentar.

Abraço.
Checov
Checov
Faz mais de 1 mês que não venho atualizar o tópico, mas agora tenho novidades:

após uma tentativa fracassada de melhorar meus gastos com combustível convertendo o C4 para "fréquis", fiz o negócio direito: agora meu C4 Pallas está devidamente "gaseificado".

O sistema atual utilizado para isso tem, em comum, só o cilindro de aço para alta pressão no porta-malas. Todo o restante nada tem a ver com o antigo sistema de admissão de gás natural por aspiração do motor. Este novo sistema, de injeção multiponto de combustível (também conhecido equivocadamente como "pressão positiva") faz exatamente o que o motor está acostumado: uma UCE adicional é instalada no carro e utiliza os sinais dos sensores do motor (até aqui, nenhuma novidade com o kit antigo) mas a saída da UCE não é mais na variação do avanço da ignição das velas: a saída desta UCE vai para 4 bicos injetores de GNV para carro com 4 cilindros, 6 bicos para carros V6 e 8 bicos para carros V8. Assim o sistema consegue controlar corretamente a mistura estequiométrica em cada pistão e a cada explosão, ajustando a injeção de GNV sempre que necessário.

É um sistema caro: o meu, sem os cilindros (que eu já tinha) ficou R$3.600,00 instalado e documentado. Como por mês meu gasto com gasolina ultrapassava os R$1.000,00 e chegava perto dos R$900,00 com álcool, eu calculo um gasto diário entre R$39,00 e R$45,00. Já usei o sistema de GNV, e meu gasto diário caiu para cerca de R$23,00. Quase metade do gasto, o que dá cerca de R$530,00 por mês! Na ponta do lápis, o sistema estará pago completamente após pouco mais de 7 meses e meio, e após isso passa a ser lucro.

Vou aproveitar para dar um "puxão de orelha" adiantado, porque tem sempre aqueles que falam "ah, mas vai estragar seu carro", "ah, vai danificar o cabeçote", etc, etc. Sugiro ler e freqüentar o fórum GNV Brasil (http://gnv.forumvila.com) antes de formar opiniões equivocadas baseado em pessoas que nunca tiveram carro a GNV ou em mechânicos medrosos que só sabem fazer o trivial. Vou escrever só uma vez, e é para ficar bem entendido: motor de carro convertido para GNV dura mais, só não coloca quem não quer.

Agora falando do carro: com pouco menos de 25.000Km e 5,5 meses de idade, o carro ainda é só alegria: sem defeitos ou problemas. Recentemente um "barulhinho" de algo raspando na parte de baixo do carro me deixou "de orelhas em pé" até descobrir o problema: por conta de alguma pedra o defletor de temperatura do escapamento, na região do tanque de gasolina, entortou e estava encostando no escapamento. Uma simples desentortada resolveu o problema.

Já fiz o segundo alinhamento e balanceamento no carro, e o primeiro rodízio de pneus. Por falar nisso, aproveito para fazer um elogio e uma pegada no pé: os pneus Michelin realmente são muito duráveis, após esses 25 mil Km de estrada ainda estão com aparência de novos, sem desgaste, o que é uma ótima notícia para quem terá que desembolsar R$2.500,00 quando for trocar os pneus, e esta é minha reclamação: como são caros os pneus Michelin!

Bem, é isso pessoal.

Abraço.
Checov
Rafael_xm_C4
Caro Checov,

A quanto tempo,

Colega, desculpe a demora, mas como já disse antes, a quantidade de carros ainda não era suficiente para estabelecermos uma analise conjunta desse produto da Citroën.

Pois é meu amigo, acabei caindo nas graças de um Exclusive 08/08, a gasolina, com o tal packtech e xenon direcional.

Vamos então as boas:

O carro: Espaço não falta. Conforto não falta. Equipamentos não faltam. Ergonomia e acabamento também não faltam. Infelizmente ainda não pude testar o motor, mas pelo que pude perceber, também não falta. O câmbio, apesar das 4 marchas, parece que dá conta do recado, muito embora eu ache estranho elevar as marchas movendo a alavanca para frente, e não para trás. Suspensão um pouco dura, mas isso porque o meu referencial é o XM. Sem comparação.

Tecnologia: Indiscutível. Quem disser que o carro não é carregado do que há de mais novo e moderno em termos de equipamentos de segurança ativa e passiva, realmente não tem a minima idéia do que seja um carro realmente moderno. ABS, EBD, AFU, seis air bags, cintos pré-tensionadose mais um monte de coisas que ainda não consegui usar. Há alguma coisa a mais que se possa colocar num carro?

Design: Não tem onde você ande com o carro, que não haja alguém olhando. O meu é preto, que em contraste com os cromados, chama ainda mais atenção.

Pegadinha: Tubo do ladrão do reservatório de espansão do sistema de arrefecimento. Que tubinho sem vergonha, não pela confecção, mas pela posição. Qualquer trabalho no sistema hidráulico da direção, ou para completar a água dos lavadores de párabrisa e faróis, pode facilmente comprometer o tubo que, apesar de ser de plástico, fica suspenso. Um mínimo esbarrão e ele dobra, ai, bau bau saída de emergência para a água.

Nos próximos dias, leia-se no próximo final de semana, devo testar mais a fundo o carro, ai coloco mais algumas impressões.

PS: Quando fui retirar o carro, fui apresentado ao novo C5, nas versões sedã e estation, com suspensão hidro, rodas 18 e tudo mais. Amigo, depois que entrarem em linha, vão mudar o conceito de carro no Brasil. Aguarde!

Abraço.
capiau2009
Caro Checov,
Como novato, somente agora tive oportunidade de ler seu "diário" e são estes tipos de divulgações que contemplam o verdadeiro espírito de um membro de um clube(seja qual for), porque são através destas informações rotineiras, que nos permitem avaliar os pontos positivos e negativos de um produto. Parabéns!
Não tenho um C4, apenas Xsara 1.8-16V Exclusive com o qual estou muito satisfeito com seu custo-benefício. Como acompanho muito as reportagens da indústria de carros, cada vez mais, estou convicto que os carros da década de 90 eram produzidos, exceto quanto a tecnologia embarcada, com mais qualidade sob o ponto de vista de materiais empregados e da mão de obra, basta observar a quantidade de recalls existentes ou na baixa qualidade dos materiais usados até em carros de segmentos superiores, e tudo isto em nome da redução de custos e no aumento de lucros.
Checov
Olá pessoal

Faz tempo que não atualizo os meus relatos aqui, por vários motivos. Vale adiantar que não tem nada a ver com o carro, o ano de 2009 é que começou muito ruim: perdi um irmão, brutamente e de forma surpreendente, e isso acabou com muitas das minhas vontades.

De qualquer forma, vamos voltar ao C4. Lembram-se do barulho do banco traseiro? A Citroën resolveu. Quando comprei o carro, zero Km mas de vitrine, não tinha bancos em couro. Ganhei os bancos em couro da concessionária, com couro original Citroën, mas que foi colocado nos bancos que já existiam. Então, enquanto a documentação saía, a empresa que colocou os bancos veio até a concessionária, retirou os bancos, colocou couro e voltou os bancos para o carro. Nesta operação, alguém fez o favor de esquecer de colocar uma borracha de proteção em um dos encaixes do banco traseiro. Pois agora, na última revisão, acharam a falta da borracha e colocaram a proteção, e o barulho sumiu! Ótimo, defeito sanado! icon_smile_kisses.gif

Durante esta última revisão, foi constatado o desgaste das pastilhas de freio, tanto dianteiras quanto traseiras. O orçamento para troca: R$780,00. Caro, realmente muito caro, para quem estava acostumado a trocar pastilha e lona de Ford Focus a R$250,00 o conjunto, ficou realmente muito pesado. Pois bem, não fiz a troca. Segundo o mecânico da Citroën, as pastilhas durariam ainda cerca de 3.000Km, então usei este tempo, que para mim é cerca de 2 semanas, para encontrar as pastilhas. Pedi a um amigo de Sorocaba para encontrá-las, sem sucesso, pedi a uma autopeças especializada em Citroën em São Paulo, que tinha as pastilhas mas me cobrou R$730,00 só pelas peças, o que é absurdo, mais caro que a concessionária. Então, por um golpe do destino, descobri que aqui, em Bragança Paulista, há uma fábrica de pastilhas de freios e, surpresa, já tinham as do C4 Pallas no seu catálogo. O preço? R$300,00, conjunto completo, com 8 pastilhas! Fantástico, preço pouco maior que um kit de freios de Ford Focus 2002! Já troquei, e são boas as pastilhas, só apitam um pouco nos fins das frenagens, mas sem problemas. Já precisei delas, e corresponderam à altura do carro!

Bem, o meu C4 Pallas já está com 45.300Km, no GNV, sem apresentar nenhuma falha grave. O Kit GNV está 90% ok, as tabelas de injeção de GNV foram quase 100% corrigidas, só está apresentando um problema em cutt-off acima dos 140Km/h: o GNV desliga-se e comuta para gasolina. Fora isso, funcionamento normal, sem apresentar falhas mesmo com o controle de cruzeiro acionado.

Acabei de instalar um kit de lâmpadas HID nos faróis baixos, de 5000K (amareladas). Recomendo também: além de manterem a originalidade do carro, não atrapalham os outros motoristas, porque não são azuis, e facilitam muito na estrada. Recomendo a faixa de cores de 4300K e 5000K. AS lâmpadas HID de 6000K para cima são muito azuis e não iluminam bem, servem só para atrapalhar os outros motoristas, pois o azul é irritante.

Por enquanto é isso: carro 100%, sem falhas, sem barulhos, 45.300Km, 8 meses de uso. Até agora, só alegria (o carro) e só tristeza (o ano de 2009).

Abraço.
Checov
Rafael_xm_C4
Prazer em vê-lo novamente por aqui Checov, sentimentos pelo seu irmão. Sei como é isso, perdi minha esposa no final de 08/2007, depois de cinco longos anos de luta contra o cancêr. Em função disso, meu projeto de personalisação do XM foi para o espaço. Perde-se muito o apreço por algumas coisas da vida.

Abraço e força ai!
Checov
QUOTE(capiau2009 @ Mar 25 2009, 09:37 PM) *

Caro Checov,
Como novato, somente agora tive oportunidade de ler seu "diário" e são estes tipos de divulgações que contemplam o verdadeiro espírito de um membro de um clube(seja qual for), porque são através destas informações rotineiras, que nos permitem avaliar os pontos positivos e negativos de um produto. Parabéns!
Não tenho um C4, apenas Xsara 1.8-16V Exclusive com o qual estou muito satisfeito com seu custo-benefício. Como acompanho muito as reportagens da indústria de carros, cada vez mais, estou convicto que os carros da década de 90 eram produzidos, exceto quanto a tecnologia embarcada, com mais qualidade sob o ponto de vista de materiais empregados e da mão de obra, basta observar a quantidade de recalls existentes ou na baixa qualidade dos materiais usados até em carros de segmentos superiores, e tudo isto em nome da redução de custos e no aumento de lucros.


Olá capial. Na verdade, eu tenho uma percepção um pouco diferente da sua. Na verdade, o oposto biggrin.gif e explico:

Nas décadas passadas a premissa das montadoras era fabricar e vender, fabricar e vender. Pouco importava a segurança, a qualidade e o preço. Os concorrentes faziam exatamente a mesma coisa, então era um "mar de facilidades" para as montadores. Isso ocorriam tanto aqui, quanto nos EUA, como na Europa. Então, se determinado modelo tinha um defeito crônico, a montadora só trocava a peça em garantia, e assim que acabava a garantia o problema é do dono do carro. Vide VW Gol, que quebrava o túnel, GM Chevette que soltava a roda por quebra do pivot, esse seguido por outros também da GM, como o Opala; Fiat 147 que enferrujava horrores, VW Brasilia que também enferrujava, principalmente os paralamas... então, os exemplos são muitos, e a qualidade dos veículos era realmente sofrível.

Hoje, a qualidade é uma das necessidades para que um carro consiga mercado.

Você diz que a quantidade de recalls é um indicador para a baixa qualidade, mas não é. A quantidade de recalls é um indicativo de boa qualidade. Significa que a montadora, mesmo depois do carro ser colocado no mercado, ainda realiza estudos de segurança e de funcionamento dele, corrigindo defeitos de projeto que porventura existam. Antigamente, assim que o carro era lançado, nem se pensava mais em testar o carro, só pensavam no novo modelo que seria lançado no ano seguinte para ganhar mais dinheiro. É a mesma idéia que o pessoal fez do Governo Lula, quando a PF pegou um monte de esquemas de corrupção. Muita gente disse "olha, como o governo Lula é corrupto, quanta gente sendo presa" o que na verdade é o contrário, os investimentos para desbancar esquemas de corrupção aumentaram, e andaram pegando corruptos por aí. No governo anterior os investimentos eram fracos, e consequentemente ninguém era pego corrompendo ou sendo corrompido.

De qualquer forma, basta ver os carros da década de 90 e os da década de 2000. Se você conseguir se lembrar como era, por exemplo, um Corsa 1993 no ano de 2000 e como é hoje um Corsa 2001, você verá que, mesmo ambos com 8 anos de idade, os carros desta época são muito melhor acabados e duram mais, não apresentam ferrugem, etc, etc.

Hoje vivemos em uma época com bons carros. Já saímos da nossa era das carroças.

Abraço.
Checov
Checov
QUOTE(Rafael_xm_C4 @ Mar 30 2009, 04:35 PM) *

Prazer em vê-lo novamente por aqui Checov, sentimentos pelo seu irmão. Sei como é isso, perdi minha esposa no final de 08/2007, depois de cinco longos anos de luta contra o cancêr. Em função disso, meu projeto de personalisação do XM foi para o espaço. Perde-se muito o apreço por algumas coisas da vida.

Abraço e força ai!


Obrigado Rafael. Sinto pela sua esposa, e sei como é essa doença fatídica. Meu pai faleceu em 2004 pelo mesmo motivo, ainda novo (51 anos), e foram 2 anos realmente preocupantes.

No caso de meu irmão, foi derrepente, violento e cruel. Um choque difícil de engolir.

De qualquer forma, mais uma vez obrigado pela força.

Abraço.
Checov
Bruno-PE
Checov, faço coro às condolências pelo seu irmão. Também passei por algo parecido e só posso lhe dizer que tenha força pois a vida há de melhorar.

Outra coisa que quero concordar, é sobre os faróis. É realmente irritante ver a febre dos "neons", que em 90% dos carros são instalados por donos que não tem o mínimo cuidado em sequer regular os faróis. Com isso já tive várias vezes que colocar a mão na frente do rosto, como se tapa o Sol, para não ficar completamente cego. É bom que o governo tenha colocado uma lei, espero que seja cobrada pela polícia.
Checov
Resolvi fazer um cálculo de quanto economizei com a instalação do Kit GNV.

Instalei o kit no final de Novembro, quando o carro tinha 22.000Km. Conforme cálculo de consumo, gasto R$0,12 por Km rodado no GNV, e R$0,19 por Km rodado na gasolina. Isso dá uma economia de R$0,07 por Km rodado.

Meu carro agora está com 47.000Km, tirando os 22.000Km dá um total de 25.000Km rodados com GNV. Deste total, cerca de 2500Km foram rodados com gasolina (uma viagem para Presidente Prudente e mais cerca de 1200Km com gasolina para chegar ao posto quando acaba o GNV). Então, efetivamente, rodeu 22.500Km só com GNV.

Pois bem, multiplicando R$0,07 por 22.500 eu tenho um total de R$1575,00.
Paguei R$3.500,00 pelo Kit, e rodei 4 meses. Se continuar neste pé, com mais 4 meses o kit estará pago, e depois é só lucro! biggrin.gif
Checov
Pessoal, mais uma passagem na história de meu C4 Pallas que esqueci de comentar.

No início de Fevereiro fui chamado, através do C4 Clube*, por um locador de automóveis, e convidado a realizar "um comercial de TV". Pois bem, aceitei o convite, e meu C4 Pallas ficou um fim-de-semana em um estúdio realizando o tal comercial.

Se vocês quiserem ver meu carro, é o comercial do "Resta um" do GM Vectra 2009. Meu C4 aparece de lado bem no meio do comercial.

Tá, vocês podem até falar que "traí a marca" biggrin.gif . Mas tenho 2 comentários a fazer:

1 - a Citroën não me pagou para que eu "não fizesse" o comercial. A produtora pagou, e fui bem pago! smile.gif

2 - Meu C4 fez sucesso com os produtores e o ator do comercial. O que foi interessante foi o ator reclamando do Vectra que ele estava fazendo propaganda. Hilário! biggrin.gif

Não me arrependi. O comercial ficou péssimo, bem no nível da GM mesmo, e não denegriu a imagem de nenhum outro carro.

Abraço.
Checov

*Nota sobre o "C4 Clube": me registrei no fórum C4 Clube pensando que iria obter mais informações e aumentar meu conhecimento sobre meu carro, mas notei que o fórum de lá é repleto de "quase-adolescentes". Recentemente abrí um tópico sobre um kit multimedia para C4 Pallas, para obter mais informações, e vocês acreditam que meu tópico foi simplesmente apagado, sem aviso e sem motivo? Se alguém do C4Clube estiver lendo, espero que não se sinta diretamente "atacado", este é só um comentário de uma pessoa que se achou excluída. Notei que, apesar de existirem proprietários de C4 Pallas, a predominância é de C4 VTR, e que a cabeça de muitos proprietários do VTR, presentes no C4 Clube, ainda não atingiram a maioridade. Este é meu desabafo, peço que ninguém se sinta lesado por isso.
Checov
Fechando essa leva de mensagens, vamos ao título do tópico: boas e ruins do sedã.

Vou começar pelos problemas que o carro tem, já que é bem conhecido meu depois de 46 mil Km. Seguido do problema, eu envio também algumas sugestões. Quem sabe alguém da Citroën não esteja lendo isso? smile.gif

- Vigia traseira deforma a imagem dos carros que vêm atrás; sugestão: utilizar vidro de melhor qualidade para a vigia, este fornecedor específico não é bom.

- Botão de destravamento das portas fica escondido atrás do volante e da alavanca do limpador, do ponto de vista do motorista; sugestão: trocar o lugar do botão de destravamento com o botão do pisca-alerta.

- Quinto passageiro viaja com desconforto, apesar do bom espaço; sugestão: reduzir a altura da parte central do banco traseiro, tornando-o mais confortável para o quinto passageiro, e posicionar os porta-copos na parte posterior dos bancos dianteiros, a exemplo da Meriva e da Scénic. O encosto de braço rebatível DEVE continuar, só que bem mais macio.

- Alto-falantes muito fracos para o aparelho de som, e aparelho de som muito simples para o padrão do carro; sugestão: colocação de alto-falantes mais potentes e de melhor qualidade, e adoção de um sistema de som com entrada USB/Leitor de cartões, entrada auxiliar dianteira por plugue P2 padrão e possibilidade de leitura de DVD Audio.

- No GNV, a indicação de combustível líquido decai, mostrando uma indicação falsa; sugestão: mesmo o kit GNV não sendo padrão para o carro, acabou demonstrando uma discrepância na construção do sistema eletrônico. O indicador de combustível precisa ser direto com a bóia, para melhor segurança do proprietário, não pode ser inclusa na rede CAM do carro. Imagine se uma pedra fura o tanque de gasolina: o indicador não corresponderá ao valor exato no tanque, e você ficará sem gasolina, mesmo com o sistema indicando que ainda tem.

- Mangueira de água entre a câmara de expansão e o radiador "solta no ar"; sugestão: colocar uma mangueira maior, que possa ficar fixa sob a borda do compartimento do motor, mais protegido contra esbarrões indevidos.

- Espelhos retrovisores com fim-de-curso insuficiente; sugestão: aumentar o curso dos motores dos retrovisores externos, pois da forma como estão, em caso de motorista muito alto e banco totalmente recuado para trás, os retrovisores, na regulagem máxima, ficam com metade de sua imagem mostrando a lateral do carro. O correto é não ver nada da lateral do carro.

- Regulagem dos faróis com fim-de-curso insuficiente; sugestão: aumentar o curso, tanto inferior quanto superior dos faróis. Da forma como está, com o carro carregado os faróis ainda ofuscam o motorista do carro da frente, e com o carro completamente sem carga há uma falta de regulagem superior do faról. Isso, é claro, levando-se em conta os faróis baixos.

- Lâmpadas dos faróis baixos queimam constantemente; sugestão: troca do fornecedor dos faróis. A Citroën poderia abandonar o fornecedor "chinesinho" e adquirir lâmpadas H7 da Osran ou da Philips, porque as lâmpadas que vêm no carro são caras e não valem nada. Outra sugestão é a aplicação de Xenon em todos os modelos, sem distinção, solucionando o problema definitivamente.

Bem, esses são os problemas que o carro tem. Notem que nenhum é "defeito", ou seja, pelo menos no meu C4 Pallas não houve nenhum defeito até agora, só essas características do carro me incomodaram. Nenhuma delas é, em absoluto, impeditivo para ter o carro. Ele tem muito mais qualidades do que esses pequenos desvios, alguns que o próprio proprietário pode corrigir, outros que a Citroën poderia modificar simples e rapidamente. Por exemplo, os problemas com os faróis e com o sistema de som, um leve "banho de loja de acessórios" já resolve definitivamente. Os problemas com o indicador de combustível é realmente uma bela pisada de bola, em prol da economia, mas precisa ser corrigido, principalmente nos tempos atuais onde um carro sem combustível paga multa além de ficar em situação perigosa, e o problema com a vigia traseira é caso de reprovação do fabricante do vidro e "rua" para o responsável do controle de qualidade dos vidros.

De resto, o carro é extremamente confiável, potente, confortável (é sim muito confortável e macio, principalmente comparado aos outros carros que tive, Rafael. Claro, nada contra outras opiniões smile.gif ), não dá defeito, a garantia é muito boa, até agora quase nenhum problema com a concessionária (só aquele probleminha com o rangido do banco) e a manutenção é média, acho que os preços do litro do óleo e das pastilhas de freios são meio abusivos.

Definitivamente, se for tomar por base o meu C4 Pallas, com certeza volto a comprar da Citroën, sem sombra de dúvida. Só não sei se compraria um importado, pois sei que importados têm um péssimo suporte das importadoras, nada a ver com o carro em sí.

Abraços.
Checov
msj_rs
Olá Checov e amigos do clube!

Ainda não tenho um Citroen mas estou penssando em comprar um C4 VTR.
Só que quero comprar um usado, entao estou preocupado com a manutenção... sendo que aqui onde eu moro, que eu saiba, só existe a revenda Citroen que presta serviço de manutenção.

Pelo que eu li o VTR é importado. Por isso acho que as peças devem ser dificeis de conseguir e bastante caras (mais caras que o C4).

Gostaria da opinião de voces!
Obrigado.
Checov
QUOTE(msj_rs @ May 23 2010, 09:54 AM) *

Olá Checov e amigos do clube!

Ainda não tenho um Citroen mas estou penssando em comprar um C4 VTR.
Só que quero comprar um usado, entao estou preocupado com a manutenção... sendo que aqui onde eu moro, que eu saiba, só existe a revenda Citroen que presta serviço de manutenção.

Pelo que eu li o VTR é importado. Por isso acho que as peças devem ser dificeis de conseguir e bastante caras (mais caras que o C4).

Gostaria da opinião de voces!
Obrigado.


Olá msj

Então, o C4 VTR vendido no Brasil é muito parecido com o C4 Pallas. Existem diferenças na mecânica, mas um efeito conhecido já ocorreu com o VTR: você já encontra peças dele em autopeças, com certa facilidade. A manutenção eletrônica também já foi incorporada à maioria dos aparelhos scanner usado em oficinas, e um BOM mecânico consegue manter um C4 VTR com certa facilidade.

O C4 Pallas ainda está na fase de direitos autorais das peças, por isso, para comprar peças, só na Citroën ou na Peugeot: muitas peças mecânicas do cofre do motor do C4 Pallas são idênticas às peças do Peugeot 307.

De qualquer forma, não creio que seja um carro de manutenção constante: meu C4 Pallas tem 110 mil km, e, fora a manutenção normal de revisão, troquei nele só dois braços de suspensão, duas buchas da suspensão traseira e dois batedores dos amortecedores dianteiros, devido aos buracos das vias onde circulo.

Agora, com um pouco mais de km (daqui a 10.000 ou 20.000) vou começar a trocar peças mais pesadas: com essa quilometragem, já está na hora de trocar kit de embreagem e reajustar válvulas. Como o C4 é tucho hidráulico, talvez a troca dos tuchos seja necessária. Nada incomum para 110 mil km.

Mas o carro está ótimo, qualidade garantida. Mesmo dentro do carro poucos "grilos" existem.

Abraço.
Checov

Abraço.
Checov
ioreh

Dei um sinal prum c4 pallas 07/08 câmbio manual e quando rodei com o carro senti um pequeno rangido na embreagem, não sei se é uma característica ou algo anormal, o vendedor ficou de ver isto
estou comprando na Citroen e estão dando um ano de garantia caixa e motor.
outra coisa q chamou atenção é q estão esperando eu pagar pra começarem a acertar o carro (revisão, algumas poucas lanternagens)
vou pagar num boleto nominal a citroen
quem tiver alguma experiência ou opinião nestes aspectos, agradeço
abrçs
Rafael_xm_C4
Caro ioreh, seja bem vindo!

É praxe de qualquer concessionária só "mexer" no carro quando o negócio for irremediavelmente fechado, portanto, até aqui tudo bem.

Se esse carro foi comprado 0 km em 2008, esse um ano que estão te dando faz parte do pacote de três anos de garantia dados pela montadora, quando o veículo foi adiquirido pela primeira vez, assim, sendo este o caso, não estão te dando nada de graça.

Por outro lado, é comum a marca dar a garantia de um ano para seminovos. De qualquer forma você teria a garantia por ser um carro da própria marca.

A dica é fazer um teste quando for retirar o carro. Verifique os problemas que detectou no primeiro contato, e procure outros que eventualmente tenham surgido por conta dos reparos que tiverem que ser feitos. Procure marcas de cigarro, parafusos e peças soltas, tortas, arranhadas ou riscadas.

Se encontrar alguma coisa e a concessionária vier com aquela estória de arrumar depois, faça uma observação na nota fiscal dizendo que está recebendo o carro com o problema constatado.

Fora isso, aproveita, é um excelente carro.

Boa sorte!
ioreh
QUOTE(Rafael_xm_C4 @ Nov 3 2010, 02:26 PM) *

Caro ioreh, seja bem vindo!

É praxe de qualquer concessionária só "mexer" no carro quando o negócio for irremediavelmente fechado, portanto, até aqui tudo bem.

Se esse carro foi comprado 0 km em 2008, esse um ano que estão te dando faz parte do pacote de três anos de garantia dados pela montadora, quando o veículo foi adiquirido pela primeira vez, assim, sendo este o caso, não estão te dando nada de graça.

Por outro lado, é comum a marca dar a garantia de um ano para seminovos. De qualquer forma você teria a garantia por ser um carro da própria marca.

A dica é fazer um teste quando for retirar o carro. Verifique os problemas que detectou no primeiro contato, e procure outros que eventualmente tenham surgido por conta dos reparos que tiverem que ser feitos. Procure marcas de cigarro, parafusos e peças soltas, tortas, arranhadas ou riscadas.

Se encontrar alguma coisa e a concessionária vier com aquela estória de arrumar depois, faça uma observação na nota fiscal dizendo que está recebendo o carro com o problema constatado.

Fora isso, aproveita, é um excelente carro.

Boa sorte!


obrigado pela resposta, a dica da nota fiscal foi boa, tinha isto em mente pois além disto tem duas multas deste ano que constatei no site do detran. Eles disseram pra não me preocupar q vão pagar, só q vou querer isto por escrito
o carro é 07/08 logo a garantia de fábrica deve ter findado ou estar quase no fim
abrçs
Checov
Olá de novo pessoal.

Só para atualizar o tópico, que está "abandonadinho" (hehehe): o bichão tá firme e forte, todo dia pegando estrada, e já está com 145.000Km.

Recentemente tive que trocar dois "T" que transportam água para o redutor de GNV, porque se tornaram porosos e estavam vazando água.

E agora vou realizar uma manutenção no câmbio, consegui danificar o sincronizado da quinta.

Abraço.
Checov
Checov
Olá pessoal.

Bem, o "palão" está com 147 mil Km passados. Na última semana troquei o conjunto de engrenagens e anel sincronizado da quinta marcha (consegui danificá-la quando instalava um adaptador de celular no rádio), e tudo foi OK. O conjunto de peças, 3 engrenagens e 1 anel sincronizado, ficou por R$680,00 na Cambiobrás. A mão de obra em um mecânico aqui perto de casa foi barato, R$80,00, não precisa nem tirar o câmbio do carro, é mais fácil que trocar a embreagem.

Agora há pouco eu mesmo troquei as velas, pela quilometragem. O interessante é o preço: um conjunto de velas originais, na Citroën, ficou em R$70,00. O mesmo conjunto em autopeças, da marca Bosch fica em R$90,00 e se for NGK, R$120,00. Compensa muito mais ir na concessionária e comprar a original.

As velas que saíram demonstram a ótima saúde do motor, mesmo com 147 mil Km. Até tirei foto pra vocês verem:


Imagem do IPB

Imagem do IPB

Imagem do IPB

Imagem do IPB

Imagem do IPB

Imagem do IPB


Postei uma matéria em meu blog sobre como diagnosticar alguns problemas através da observação das velas antigas. Se quiserem ver, este é o link:

Blg do Jaldo - Dicas automotivas: Velas

É isso aí. O meu C4 Pallas está ótimo, em estado de novo, mesmo com 147.000Km e com GNV! É um ótimo carro!

Abraço.
Checov
ioreh
Checov

obrigado pela seus posts me estimularam a comprar o c4 pallas!
comprei um 07/08 exclusive manual com 28800km
minha dúvida é se é melhor colocar o kit gás de quinta geração mesmo. isto porque
o preço está bem salgado, por volta de 5000 reais. na realidade não rodo tanto quanto vc, acredito q devo estar rodando uns 20 a 25 mil km por ano, estou gastando por enquanto 650 reais de gasolina por mes
gostaria de sua opinião e fico feliz pelo bom estado de seu palão
abrçs
Checov
QUOTE(ioreh @ Feb 4 2011, 08:25 PM) *

Checov

obrigado pela seus posts me estimularam a comprar o c4 pallas!
comprei um 07/08 exclusive manual com 28800km
minha dúvida é se é melhor colocar o kit gás de quinta geração mesmo. isto porque
o preço está bem salgado, por volta de 5000 reais. na realidade não rodo tanto quanto vc, acredito q devo estar rodando uns 20 a 25 mil km por ano, estou gastando por enquanto 650 reais de gasolina por mes
gostaria de sua opinião e fico feliz pelo bom estado de seu palão
abrçs


Bem, você já anda o dobro dos proprietários comuns: a média em São Paulo é 12.000Km/ano.

Eu rodo, por dia, 190Km, e meu gasto é de cerca de R$16,00 de GNV, que custa R$1,199 por metro cúbico. Abasteço um tanque (65 litros) a cada 3.000Km, o que dá cerca de 46,15 km por litro. Para 190Km, eu gasto então uma média de 4,11 litros, que é o meu gasto diário de gasolina. Ora, 4,11 litros com a gasolina (aditivada) a R$2,599, então meu gasto com gasolina diário é R$10,69. Somado então, meu gasto diário total com combustível é de R$26,69. Agora, fazendo as contas que eu gosto de fazer, vou mostrar como se calcula realmente o gasto com combustível: é em R$/km, ou seja, quanto você gasta por km rodado. No meu caso:

R$26,69 para 190Km = 14 centavos por KM (sim, R$0,14 por Km).

Nas raras vezes que andei só na gasolina, eu (que sou pé de chumbo, não ando abaixo dos 120Km/h) gastei 8,6Km/l. Ou seja, fazendo a conta do gasto real:

R$2,59 dividido por 8,6Km = 30 centavos por Km (sim, R$0,30 por Km)

Isso dá uma economia de 53,34%. Você disse que gasta R$650,00 por mês, que, baseado no que eu ando, com uma economia de 53,34%, você gastaria R$302,90 por mês, economizando R$348,00.

Dependendo do estado que você mora, o GNV reduz o IPVA. No caso de São Paulo, a redução é de 1% (ou seja, de 4% seu IPVA passa a 3%). No C4 Pallas Exclusive manual 2008 o desconto no IPVA é de R$425,25. Mas há gastos extras: todo ano você tem que fazer uma inspeção no GNV, o que dá um gasto anual de R$120,00, e a cada 5 anos você terá que fazer uma inspeção de segurança no cilindro de GNV, que custa R$300,00 por cilindro (por isso prefira 1 cilindro só). Dividindo R$300,00 por 5 anos, seu gasto anual com inspeção do cilindro é de R$60,00, somado à inspeção anual de R$120,00 seu gasto anual com as inspeções é de R$180,00. Como você recebe o desconto do IPVA, a economia então com taxas, em São Paulo, passa a R$245,25 por ano.

Como você disse, o kit 5ª geração custa R$5000,00. Economizando R$348,00 por mês você economizará então R$4176,00 no fim do primeiro ano. Em 15 meses o kit GNV estará pago, e depois é só lucro. E ainda tem a economia anual com taxas, que neste ano de 2011 geraram uma economia de R$245,25.

Mas nem tudo são flores: a falta de conhecimento da população, somada ao medo, acabam por depreciar seu carro depois, quando você vai vender. Isso porque, mesmo retirando o KIT (que custa cerca de R$500,00 entre mão de obra, re-inspeção de remoção e documentos) no documento ficará constando "veículo modificado". Não fica marcado que a modificação era de GNV, mas tem muita gente que tem medo dessa marca no documento. Isso fará você perder cerca de 5% do valor do carro no final.

No meu caso eu pouco me importo com a depreciação: como rodo DEMAIS, meus carros sempre depreciam muito, apesar de serem todos de ótima qualidade e procedência, porque eu cuido muito bem dos meus carros, faço todas as manutenções necessárias, no tempo e km corretas, e sempre corrijo defeitos. Eu só vendo meus carros quando tenho uma boa oportunidade de troca.

Bem, é isso. Se você (ou outros) tiverem mais dúvidas, é só perguntar.

Abraço.
Checov
victor74
QUOTE(Checov @ Apr 2 2009, 06:04 PM) *

Fechando essa leva de mensagens, vamos ao título do tópico: boas e ruins do sedã.

Vou começar pelos problemas que o carro tem, já que é bem conhecido meu depois de 46 mil Km. Seguido do problema, eu envio também algumas sugestões. Quem sabe alguém da Citroën não esteja lendo isso? smile.gif

- Vigia traseira deforma a imagem dos carros que vêm atrás; sugestão: utilizar vidro de melhor qualidade para a vigia, este fornecedor específico não é bom.

(...)

Definitivamente, se for tomar por base o meu C4 Pallas, com certeza volto a comprar da Citroën, sem sombra de dúvida. Só não sei se compraria um importado, pois sei que importados têm um péssimo suporte das importadoras, nada a ver com o carro em sí.

Abraços.
Checov


olá a todos!

adquiri um C4 (veja assinatura) faz alguns meses e ainda estou conhecendo o carro.
as primeiras impressões são muito positivas. adorei o espaço e o conforto. o nível de tecnologia embarcada me impressionou bastante. mas como nem tudo na vida são flores - rs - venho aqui acrescentar alguns itens a lista do checov.

a primeira vez que precisei transportar um colchão no C4 eu me decepcionei um pouco.
no vectra faço isso facilmente.
a decepção com o C4 foi na hora de rebater o banco.
o encosto do banco traseiro pode ser rebatido, mas o assento é FIXO.
e eu não tinha percebido isso. tentei levantar o assento e puxei para cima. ele soltou no lado onde saem os cintos de segurança e subiu um pouco.
foi aí que vi que ele não tinha uma dobradiça ou algo similar do outro lado, que permitisse o movimento do banco.
tentei colocar de volta e tive muito trabalho. acabei precisando desmontar os parafusos e aí retirei totalmente o assento. não é muito difícil fazer isso, mas é trabalhoso.
hora de colocar o colchão, ele quase não passa no "túnel" que separa o habitáculo do porta-malas. esse "túnel" é estreito.
por que a citröen não coloca uma simples dobradiça no assento para tornar possível essa operação?
ah! também seria bom uma "portinha" para acesso ao porta-malas, ali onde fica o apoio central para braços do banco traseiro. no vectra, em viagens, coloco no porta-malas bolsas com lanches e bebidas e os passageiros pegam através dessa "portinha".

quando nos acostumamos com algo bom, a ausência é mais facilmente percebida.
senti falta de pequenas funcionalidades.

não gostei da necessidade de usar a chave para abrir o bocal do combustível.
poderia ter um botão por dentro do carro que destravasse o bocal.

e também senti falta de um outro botão para abrir o porta-malas por dentro do carro, com o motor ligado.
uma vez que tive que fazer isso desliguei o motor e tirei a chave da ignição para apertar o botão de abertura da tampa do porta-malas que tem na chave-controle.

agora, o ponto negativo sério. os anteriores são de pequena importância. o que vou falar a seguir é que me fez pensar em não ficar com o carro e repassá-lo para frente, após ter feito minha primeira viagem.

achei o câmbio curtíssimo!
acho que o escalonamento do câmbio não é bom.
pelo menos do modelo do meu. não sei se a citröen mudou a relação de marchas nos câmbios mais novos.
as marchas mais altas deveriam ser alongadas.
as marchas baixas estão perfeitas.
tiram o carro da imobilidade e aceleram rapidamente. muito bom. excelente ponto positivo.
o problema é na estrada, viajando a uma média de 140km/h, a rotação do motor fica num nível que considero elevado demais. chego a sentir um certo desconforto.
para efeito de comparação, no vectra, a 120km/h, o motor está pouco acima dos 2000 rpm, e a 140km/h o silêncio é total no habitáculo. não se escuta o motor.
no C4 eu me senti como se estivesse num "carro mil", com o motor "urrando" e "pedindo marcha".
talvez seja questão de eu me acostumar ao motor, mas acho que essa rotação alta também influencia no consumo, que achei meio elevado.
viajando a 140 ~ 160 fiz entre 9 e 10 km/l. e na cidade está fazendo aproximadamente 5,5 km/l.
o vectra fazia 12 a 13 na estrada e 6,5 na cidade, nas mesmas condições, respectivamente, com uma aceleração levemente melhor. ou seja, tem melhor desempenho/performance e menor consumo.
uma quinta marcha mais longa no C4 seria algo interessante.

até aqui estou gostando muito dele. excelente carro. vamos ver na hora que precisar parar na oficina. smile.gif

abraços a todos.
Esta é uma versão simplificada de nosso conteúdo principal. Para ver a versão completa com maiores informações, formatação e imagens, por favor clique aqui.
Invision Power Board © 2001-2014 Invision Power Services, Inc.